13 novembro, 2009

Ela. De seu nome...


...Maria, de seu ventre fértil, de seu primor. Ele. De seu nome Manel, de seu arrojo, de seu encanto. Parecem dois bailarinos a rodopiar ao ritmo de uma sinfonia de amores que amarra o coração como uma fita de seda que se chama bem-querer. E os dois corações ficam juntos numa harmonia sem igual, que não se pode explicar a não ser pela vontade de percorrer a dois um caminho que não é certo. Não têm a certeza do dia de amanhã, mas fazem planos, juntos, planos de dois corações enamorados, de uma só vida, de uma mesma caminhada

MariaPapoyla

2 comentários:

S* disse...

O Manuel e a Maria da minha terra... unidos, como deve ser.

diana disse...

Amei este post. Mesmo.